Deixe um comentário

Rede Brasil Atual | Policarpo, da Veja, era funcionário de Cachoeira, diz mulher do contraventor

 

Policarpo Junior, à serviço de Carlinhos Cachoeira

Revelação está em documento de juiz que denunciou tentativa de extorsão para tirar o bicheiro da cadeia

Por: Redação da Rede Brasil Atual

São Paulo – O jornalista Policarpo Jr., diretor da revista Veja em Brasília, trabalhava também de maneira remunerada para o contraventor Carlos Cachoeira, segundo teria afirmado a mulher do bicheiro, Andressa Mendonça, ao juiz federal Alderico Rocha. A informação, obtida pela TV Record, foi publicada hoje (31) no site da emissora, o R7.

Andressa teria revelado a ocupação oculta de Policarpo em sua visita à sede da Justiça Federal em Goiânia, em julho, quando tentou chantagear Rocha para que esteve mandasse soltar o marido, preso desde fevereiro em consequência das operações Monte Carlo e Vegas, da Polícia Federal.

O conteúdo do diálogo entre Rocha e Andressa está em ofício encaminhado pelo próprio juiz ao Ministério Público Federal. “A sra. Andressa falou que seu marido Carlos Augusto tem como empregado o jornalista Policarpo Jr., vinculado à revista Veja, e que este teria montado um dossiê contra a minha pessoa”, diz trecho do documento.

O juiz falou ao R7 e teria confirmado as informações.

“Ela me perguntou se eu conhecia Policarpo, jornalista da Veja. Eu disse que não conhecia não, mas já tinha ouvido falar. Então ela disse assim: Sabia que ele trabalhou durante certo tempo para meu marido, Carlinhos? Durante um tempo o Carlinhos pagou ele para que fizesse uns serviços”.

Segundo o juiz, diante da negativa dele em conhecer ou saber mais sobre o jornalista, Andressa o ameaçou.

“Ela disse que agora o jornalista estava encarregado de montar um dossiê contra a minha pessoa e contra a senadora Katia Abreu (PSD-TO) que teria destratado ele [Cachoeira] na CPI. Que tinha fotos minhas entrando num avião de um amigo de infância e outras fotos e que isso tudo seria capa da revista Veja a mando de Carlinhos”.

Neste momento, Andressa teria escrito em um bilhete três nomes de pessoas ligadas ao juiz que teriam sido fotografadas com ele: Luís Pires, Maranhense e Marcelo Miranda.

Marcelo Miranda é ex-governador do Tocantins e teve o mandato cassado em setembro de 2009 por suspeita de abuso de poder político nas eleições de 2006, Maranhense é um fazendeiro da região do Tocantins e Pará, e Luís Pires seria um amigo de infância do juiz e supostamente responderia a processo por trabalho escravo.

Esta semana, a perícia da PF confirmou que a letra no bilhete entregue ao juiz Alderico Rocha é de Andressa. Com a confirmação de que a letra é mesmo da mulher que ficou conhecida como Musa da CPI, a PF deve encaminhar um relatório ao Ministério Público Federal, que fica responsável por uma possível denúncia ou pelo arquivamento do processo.

Com informações do R7.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: